Exibindo todos 9 resultados

1942 : O Brasil e sua guerra quase desconhecida

Passados mais de setenta anos, a Segunda Guerra Mundial ainda é um assunto que fascina milhares de pessoas ao redor do mundo. O Brasil não é diferente. Por isso mesmo pode ser surpreendente que a participação do país no conflito seja ignorada pela maior parte da população. É para preencher essas lacunas na história brasileira que João Barone, consagrado baterista da banda Os Paralamas do Sucesso, apresenta 1942 – O Brasil e sua guerra quase desconhecida. Nesta nova edição ampliada, Barone, cujo próprio pai foi um pracinha, traz textos e fotos extras que iluminam ainda mais o passado da Força Expedicionária Brasileira e fazem do seu livro um documento indispensável para entender a participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial.”1942 é fundamental para quem quiser conhecer o assunto.” –  Jô Soares”Barone oferta aos leitores esse livro repleto de aventura, ação e reflexão, num momento em que o país pegou em armas e lutou do  lado certo.”  Eduardo Bueno, Peninha ,  jornalista  e historiador  “João Barone realiza um trabalho de relevo no resgate da memória dos pracinhas, sensível aos anônimos e mais vulneráveis que se tornaram heróis numa guerra assimétrica  e cruel.” –  Marco Lucchesi , presidente da ABL”O que se narra aqui não é apenas o relato da participação do Brasil na Segunda Guerra Mundial. Apesar de o livro servir também como narrativa histórica impecável – e os historiadores que se cuidem, pois um baterista da linha de frente do rock brasileiro decidiu se entrincheirar pelo terr itório inconstante da História –, o que se revela é a odisseia particular de um filho em busca do pai.” –  Tony Bellotto , músico e escritor”Faça como o João Barone, não esqueça a Segunda Guerra Mundial. Somos filhos dela, independente de nossas idades.” –  Alberto Dines , jornalista e escritor”Este livro se ergue, como filho nos ombros do pai, contra um inimigo abominável – oponente mais letal que o chumbo, mais destrutivo que a pólvora, mais humilhante que a derrota, mais ultrajante que a mentira, mais injusto que a ingratidão, mais irremediável que a morte –, este livro se ergue, memória de um pai nos ombros do filho, e diz não ao mais vil dos demônios:  esquecimento. Depois de vencer o nazifascismo, a guerra não acabou para os pracinhas brasileiros – seus descendentes travam a luta contra as trevas do oblívio.” – Pedro Bial”Explicar a importância e o sacrifíciodos soldados brasileiros durante a Segunda Guerra não é tarefa simples. Com clareza e conhecimento transmitidos em narrativa envolvente, Barone consegue cumprir a missão.” –  Marina Amaral , colorista de fotos

R$34,90

Histórias não (ou mal) contadas ; Escravidão, do ano mil ao Século XXI

VOCÊ SABIA QUE… 1,25 MILHÃO DE EUROPEUS BRANCOS  foram escravizados por corsários do norte da África, entre 1530 e 1780?    22 MILHÕES DE RUSSOS  viviam em condições análogas à escravidão até a abolição da servidão em 1861?    2,5 MILHÕES DE MULHERES  em todo o mundo são vítimas do tráficoe da exploração sexual, que envolve bilhões de dólares anualmente?    O PAI DE ALEXANDRE DUMAS,O AUTOR DE OS TRÊS MOSQUETEIROS,  era um celebrado general francês negro e filho de uma escrava?Quando o tema é escravidão, duas grandes inverdades são repetidas com frequência. A primeira é que ela tenha se restringido a uma determinada etnia; a segunda é que tenha acabado. Em Histórias não (ou mal) contadas: escravidão, do ano 1000 ao século XXI, o historiador Rodrigo Trespach revela ao leitor fatos pouco conhecidos sobre os múltiplos povos que foram e continuam sendo escravizados e explorados de diversas formas ao redor do mundo.Sempre com extensa pesquisa e linguagem clara e acessível, o autor faz uma leitura original da escravatura ao longo de mais de mil anos, trazendo à luz fatos históricos pouco conhecidos, como o papel das comunidades religiosas na dominação de vários povos, o casamento infantil e os 45 milhões de pessoas que, ainda hoje, são vítimas de algum tipo de escravidão, de ponta a ponta do globo terrestre.   

R$39,90

As lutas, a glória e o martírio de Santos Dumont

O gênio que deu asas ao homemUm menino que gostava de máquinas e balões se transformou no homem que conquistou o ar e ensinou ao mundo o caminho das estrelas. Alberto Santos Dumont foi um dos personagens mais notáveis da História. Seus feitos são homenageados em diversos países, em especial no Brasil, sua terra natal, e na França, onde o célebre 14-bis levou seu inventor a realizar um dos maiores sonhos da humanidade: voar.   Em As lutas, a glória e o martírio de Santos Dumont, o respeitado autor Fernando Jorge, vencedor de um Prêmio Jabuti, reconstrói a vida, a obra e as ideias vanguardistas do genial inventor mineiro de forma ímpar. Baseada em extensa pesquisa e repleta de belas fotografias históricas, esta é a biografia definitiva de um homem extraordinário.   

R$59,90
Padrão

Vida sem crachá

Recomeçar… E contar comigoNo dia 25 de agosto de 2014, Claudia Giudice, diretora de uma das maiores editoras do Brasil, foi chamada à sala do presidente executivo da empresa. Em poucos minutos, 23 anos de carreira chegaram ao fim. Arrasada pela rotina perdida e incerta quanto ao futuro, Claudia se refugiou em um blog, que mais tarde daria origem a este livro. No final de 2014, ela transformava o plano B de sua vida em plano A e realizava o antigo sonho de abrir uma pousada pé na areia na Bahia. Em A vida sem crachá, Claudia divide com o leitor seus momentos de tragédia, comédia, medo e superação após a perda do emprego, mostrando que mesmo nos momentos mais difíceis é possível seguir em frente e recomeçar. Com bom humor, criatividade e uma dose de emoção, a autora conta os próprios altos e baixos e dá lições de recuperação e empreendedorismo úteis para todo mundo que já escolheu ou foi obrigado a mudar os planos no meio do caminho. “Claudia escreve como toda boa jornalista deveria escrever. Usa frases fortes e curtas, às vezes repletas de sofrimento, mas também permeadas de bom humor e certa leveza que, de imediato, revelam ao leitor talvez o traço mais importante da autora: a capacidade de se reinventar. Ela enfrenta desafios e situações inesperadas sem perder o encanto pela vida e encontra forças e esperanças onde outras pessoas só veriam tristeza e desalento. Sua travessia foi dolorosa, repleta de sustos e situações inesperadas, mas a prova de que valeu a pena está nas páginas deste livro.”Laurentino Gomes, autor de 1808, 1822, 1889.

R$24,90

1565 : Enquanto o Brasil nascia

Este livro é a história dos inúmeros e improváveis personagens que, juntos, passaram por batalhas sangrentas, vitórias e reveses, episódios de sorte e coragem, e grandes aventuras para construir o Brasil nos dois primeiros séculos de colonização portuguesa. O jornalista Pedro Doria narra os eventos que culminaram na fundação do Rio de Janeiro, em 1565, passando pelo nascimento de São Paulo, anos antes, e costurando as histórias de portugueses, índios, franceses e africanos que, entre erros e acertos, inventaram um país.

R$34,90

1789 : A história de Tiradentes, contrabandistas, assassinos e poetas que sonharam a Independência do BrasilBruto e apaixonado

Você realmente conhece a história de Tiradentes e de seus companheiros inconfidentes?Minas Gerais no final do século XVIII era um lugar efervescente, selvagem e perigoso. Porém, muito mais perigosas que as rotas de contrabando de ouro e diamantes eram as ideias que pairavam na cabeça de jovens instruídos, movidos pelo sonho de democracia e igualdade que vinha da então nascente república da América do Norte.Passionais, malandros, corajosos e principalmente audaciosos, os inconfidentes mineiros são personagens extremamente cativantes, e são conduzidos nesse livro para longe do didatismo escolar. O leitor vai encontrar nessas páginas uma trama densa, cheia de suspense e reviravoltas impressionantes, além de entender como nomes comuns a nossa memória coletiva se deixaram corromper e lutaram pela construção do Brasil. Mais ou menos como conhecemos hoje em dia.

R$34,90

Histórias não (ou mal) contadas : Revoltas, golpes e revoluções no Brasil

Tiradentes não foi um pobre coitado. D. Pedro I deu o primeiro golpe da história brasileira. Os africanos não aceitaram a escravidão passivamente e organizaram diversas revoltas em todo o país. Um golpe militar garantiu a democracia em 1955. São esses e outros relatos que compõem o novo livro de Rodrigo Trespach, Histórias não (ou mal) contadas: revoltas, golpes e revoluções no Brasil. Baseado em fontes primárias e vasta bibliografia, o historiador narra com linguagem acessível e cativante os lados ocultos dos golpes e revoluções que ajudaram a construir o país, desde a Independência ao impeachment de Dilma Rousseff. Este livro é um convite para que o leitor encare eventos e personagens nacionais de uma maneira que nunca viu antes – recheada de curiosidades e fatos surpreendentes.VOCÊ SABIA QUE, NA HISTÓRIA POLÍTICA DO BRASIL:A PRIMEIRA ASSEMBLEIA CONSTITUINTE brasileira reuniu-se em uma antiga cadeia pública?O PRIMEIRO CHEFE DO EXECUTIVO DO PAÍS eleito por meio do voto foi um padre secular que combatia o celibato?A REPÚBLICA FOI PROCLAMADA ao som da Marselhesa, o hino da França?UM GOLPE MILITAR garantiu a democracia, em 1955?

R$39,90

Cavaleiro das Américas

ATÉ ONDE VOCÊ IRIA POR SEU SONHO?
Você seria capaz de percorrer um caminho de 16 mil quilômetros a cavalo para perseguir um objetivo? Foi assim que o caubói brasileiro Filipe Masetti Leite realizou o projeto audacioso de sair do Canadá em direção a Barretos, no interior de São Paulo, acompanhado de seus cavalos. Foram dois anos, dez países, inúmeras histórias e uma certeza: a de que nada mais seria como antes ao fim dessa longa viagem.Cavaleiro das Américas é o relato emocionante dessa jornada mais que inusitada, permeada de desafios, surpresas e muita força de vontade, e das lições e inspirações que ela proporcionou. Cartéis de drogas mexicanos se misturam a pessoas de solidariedade extraordinária, e ao amor incondicional de um caubói por seus cavalos para compor a aventura de Filipe. Em meio a personagens e lições únicas, o leitor vai se sentir inspirado a pensar fora da caixa e não desistir de seus sonhos, por mais improváveis que pareçam.

R$29,90

Renato Russo

A música e o trabalho de Renato Russo estão enraizados na minha memória. A minha relação com eles começou bem cedo, pois a minha mãe sempre foi uma fã apaixonada da Legião Urbana. Cresci ouvindo Renato Russo na minha casa.Fiquei muito feliz em ser escolhida, depois de uma dura disputa, para encarnar a Maria Lúcia, em Faroeste caboclo. Faço a minha estreia no cinema realizando um grande desejo: encontrar um desafio e me sentir pronta e com energia para enfrentá-lo. Cheguei a ele: dar vida a essa menina tão cheia de conflitos e causas.Muita gente me pergunta: por que as pessoas devem assistir ao filme Faroeste caboclo. A música faz parte de uma geração inteira. É uma história que ocorre em meio à ditadura militar, mostrando a reação dos jovens àquilo tudo. E não posso deixar de destacar os personagens complexos criados pelo Renato. Quem não tem a curiosidade de saber como a Maria Lúcia, o João e o Jeremias eram, como eram suas vidas, seus hábitos? E por que “Maria Lúcia com Jeremias se casou”? É claro que no cinema o mecanismo é diferente, mas acredito que deu certo, e a Maria Lúcia passou a existir na sua forma completa, assim como o João e o Jeremias.Viva Renato Russo!
Isis Valverde, abril de 2013.Nenhum homem vive solto no tempo e no espaço. Muito menos o gênio paira acima das coisas terrenas. Embora tenha nascido no Rio de Janeiro, Renato Manfredini Jr. tornou-se Renato Russo num tempo e num espaço precisos, de meados da década de 1970 a meados da década de 1980, em Brasília. O líder da Legião Urbana, conjunto de rock mais popular da história do país, não poderia ter emergido de outro momento ou lugar.Jornalista em Brasília, como Renato foi um dia, Carlos Marcelo rastreia a energia criadora do ídolo pela cidade. Com finíssimo texto e colossal apuração, ele reconstrói a Brasília da Turma da Colina. Que cidade linda, tediosa e insurgente.

R$9,90